Vereadora fala em plenário sobre linha Interhospitais

web1160-800x503   Durante a sessão plenária desta segunda-feira (14), a presidente da Comissão de Saúde, Bem-Estar Social e Esporte, vereadora Noemia Rocha (PMDB), utilizou a tribuna para falar sobre a resposta do pedido de informações, de sua autoria, que solicitou dados sobre a linha Interhospitais. A prefeitura respondeu a solicitação na última semana.

   De acordo com a Urbs, responsável por sua avaliação operacional, “atualmente a linha roda aproximadamente 7.650 km/mês, custando R$ 36.420,28/mês e arrecadando R$ 6.765,00, tendo portanto um deficit de R$29.655,28/mês, mesmo com readequações”.

    Em seu discurso, a parlamentar demonstrou sua preocupação com esse deficit. “Não penso em extinguir esse projeto, eu acho que é viável, mas precisamentos buscar melhorias. Quem sabe buscar um convênio com o Estado do Paraná, nós estamos praticamente atendendo o Paraná e não a cidade de Curitiba”, destacou.

     “O projeto é interessando, mas é deficitário para a comunidade de Curitiba. Essa propostas de buscarmos melhorias juntos e analisarmos uma forma de fazer. É importante nós, como fiscalizadores, avaliarmos e buscarmos expansão.”

Inscrições para concurso da Urbs terminam nesta quarta-feira

urbsHá 14 vagas disponíveis, com salários entre R$ 1,1 mil e R$ 3,2 mil nos primeiros três meses. Provas acontecem no dia 10 de agosto

      Termina nesta quarta-feira (23) o prazo para se inscrever no concurso público que pretende contratar 14 novos funcionários para atuarem na Urbs, em Curitiba. As provas acontecem no dia 10 de agosto e a taxa de inscrição varia entre R$ 55, para nível médio, e R$ 75, para nível superior.

      Das 14 vagas abertas, cinco são para a função de fiscal, no cargo de agente de fiscalização. Há uma vaga para as funções de engenheiro mecânico, administrador, analista de redes, contador, economista, advogado, fiscal, técnico em inspeção veicular, oficial de manutenção predial e técnico de enfermagem.

Fonte: Gazeta do Povo

(Leia Mais…)

Táxis passam a rodar com tarifas mais caras em Curitiba

taxiNovos valores começam a valer na segunda (16); reajuste é de até 21,7%. É o primeiro reajuste em quatro anos, de acordo com a Urbs.

 

      A tarifa do táxi de Curitiba vai aumentar na próxima segunda-feira (16). A partir da zero hora, a bandeira inicial passa de R$ 4,00 para R$ 4,60, um reajuste de 15%. A bandeira 1 sobe de R$ 2,00 para R$ 2,30. Já o reajuste na bandeira 2 é um pouco maior e corresponde a 21,7%. O usuário passa a pagar R$ 2,80 ao invés da tarifa atual de R$ 2,30.

    Segundo a Urbanização de Curitiba (Urbs), o aumento váildo para a bandeira 2, é maior para incentivar com que mais taxistas trabalhem à noite. A cobrança diferencial é realizada entre 22h e 6h de segunda a sexta-feira e entre 13h, de sábado, e 6h de segunda-feira.

 

Fonte: Gazeta do Povo

Leia Mais em

http://g1.globo.com/pr/parana/noticia/2013/12/taxis-passam-rodar-com-tarifas-mais-caras-em-curitiba.html

Relatório sugere tarifa 12% menor e indiciamento de ex-presidente da Urbs

transitoOutras nove pessoas também poderão ser indiciadas. Comissão apresentou ainda proposta para bilhete integral em Curitiba

      Depois de quatro meses de investigação, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Câmara de Curitiba que analisou a situação do transporte coletivo na capital apresenta amanhã o relatório final para a aprovação dos vereadores. Além das propostas de redução em até 12% da tarifa e criação de um bilhete único, o documento sugere o indiciamento de pelo menos dez pessoas envolvidas na elaboração da licitação do sistema de transporte e dos sócios das empresas que venceram o edital por formação de cartel. A sugestão de indiciamento será enviada para o Ministério Público do Paraná (MP-PR) e para o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

      No entendimento dos vereadores, aqueles que tiveram participação direta na elaboração do edital de licitação do transporte podem ser responsabilizados pelas irregularidades que foram levantadas ao longo desses meses. Entre as pessoas que podem ter seu indiciamento sugerido estão o ex-presidente da Urbs Marcos Isfer e o ex-diretor de transporte e presidente da comissão especial de licitação, Fernando Ghignone. Além deles, outros membros da comissão especial de licitação e funcionários que tiveram contato com o documento, como os responsáveis pela diretoria jurídica, também podem ser alvo de indiciamentos.

Fonte: Gazeta do Povo

(Leia Mais…)

Empresário relatou ameaça, diz vereadora

branco     A vereadora Noemia Rocha (PMDB) afirmou ontem ter recebido relato de um empresário que afirmou não ter participado da licitação das concessões de linhas de ônibus de Curitiba, realizada em 2010, por conta de ameaças. Segundo ela, o empresário disse ter sido ameaçado por pessoas ligadas às empresas que já operavam o sistema, que teriam se dividido em consórcios para manter o controle do transporte coletivo da Capital.

    A CPI anunciou que deve realizar uma sessão extraordinária na semana que vem para avaliar essas informações. A vereadora se comprometeu a conversar pessoalmente com o denunciante hoje para verificar se ele está disposto a apresentar a denúncia à comissão.

Fonte: Bem Paraná

Denúncia

plenario5      Denúncia recebida pela vereadora Noemia Rocha (PMDB) pode resultar em reunião extraordinária, na próxima semana. A vereadora relatou ter sido procurada por empresário que não teria participado da licitação devido a ameaças das permissionárias, que se dividiram em consórcios e hoje operam o sistema.

      Segundo Noemia, ela conversará pessoalmente com o denunciante nesta sexta (25) e verificará se está disposto a apresentar a denúncia ao colegiado especial da Câmara de Curitiba.

Fonte: Site da CMC

(Leia a matéria completa…)

Noemia Rocha destaca debate

noemia3      A corregedora da Câmara Municipal de Curitiba, vereadora Noemia Rocha (PMDB), informou em seu twitter, nesta quinta-feira (24), sobre a sua participação na reunião da CPI do Transporte Coletivo, com o depoimento do ex-diretor de Transporte da URBS, Lubomir Ficinski, e presença de integrantes do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Sindimoc).

      A parlamentar sempre teve compromisso com a transparência e informa a população todas as semanas sobre os debates e iniciativas da Casa.

Código de sistema de bilhetagem não pertence à Urbs, diz ex-presidente do ICI

Câmara Municipal de CuritibaJackson Carvalho Leite defende que Urbs se recusou a pagar quantia a mais para ser dona do software. Opinião diverge do que disse o ex-presidente da Urbs Marcos Isfer à CPI

      O ex-presidente do Instituto Curitiba Informática (ICI) Jacskon Carvalho Leite disse nesta quinta-feira (3) à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do transporte público, da Câmara dos Vereadores de Curitiba, que o código-fonte do sistema de bilhetagem eletrônica dos ônibus não pertence à Urbs. Ele relatou que uma quantia a mais deveria ter sido paga para que o programa fosse comprado, mas que, à época, a empresa que administra os ônibus da capital relatou não ter dinheiro para bancar essa diferença.

      A afirmação vai contra o que disse o ex-presidente da Urbs Marcos Isfer, no último dia 19, quando falou à CPI sobre o Sistema de Bilhetagem Eletrônica (SBE). Isfer citou que “o código-fonte pertence à Urbs através do ICI [Instituto Curitiba Informática]”. O que causa um impasse é o fato de o ICI ter subcontratado a empresa Datapron para desenvolver o sistema. Em agosto, a Urbs chegou a receber uma proposta de venda do sistema pela Datapron por R$ 4 milhões. A briga foi parar na Justiça depois que a negociação fracassou.

Fonte: Gazeta do Povo

(Leia Mais…)

Licitação de lojas da Rodoviária será no dia 4 de novembro

rodoviaria_curitibaO edital de licitação prevê a contratação de 17 permissionários pelo prazo de até oito anos

      A primeira licitação para ocupação de lojas na Rodoviária de Curitiba será realizada no dia 4 de novembro, em sessão pública, a partir das 9 horas, no auditório da Urbs. O aviso de licitação foi publicado nesta quarta-feira (2) no Diário Oficial do Município, Diário Oficial do Estado e jornal de grande circulação. O edital de licitação, disponível no site da Urbs (www.urbs.curitiba.pr.gov.br) a partir desta quarta-feira, prevê a contratação de 17 permissionários pelo prazo de até oito anos, mediante pagamento de outorga e permissão de uso.

      A licitação, no tipo concorrência (002/2013), terá os vencedores definidos pela maior oferta para outorga. Os valores de outorga variam, de acordo com a localização e a metragem dos espaços, de R$ 23.520,00 a R$ 217.668, 00, com possibilidade de parcelamento, sendo a primeira parcela paga até três dias úteis depois da publicação dos resultados da licitação. Os valores para permissão de uso, com pagamentos mensais, variam de R$ 1.960,00 a R$ 18.139,00.

Fonte: Bem Paraná

(Leia Mais…)

Não havia necessidade de um segundo parecer, diz Marcos Isfer

(Foto – Andressa Katriny)

(Foto – Andressa Katriny)

      Em depoimento à CPI do Transporte Coletivo da Câmara Municipal, na tarde desta quinta-feira (19), o ex-presidente da Urbs (gerenciadora do transporte coletivo de Curitiba), Marcos Isfer, admitiu que não houve um parecer final do departamento jurídico da empresa após mudanças realizadas no edital de licitação do sistema, realizada em 2009. A existência das alterações foram confirmadas em relatório fruto de auditoria interna realizada pela Urbs e entregue à CPI.

     Segundo Isfer, presidente entre 2009 e 2012, não havia necessidade de o departamento jurídico apresentar um segundo parecer, sendo que todas as recomendações feitas foram acatadas. “A medida em que aquilo que é apontado como falha é suprido, contenta o jurídico. Em nenhum momento se fala em ilegalidade, mas em irregularidades, que pode ser apenas uma correção. Em momento algum do processo houve ausência do jurídico”, garantiu.

     As informações foram prestadas em resposta a questionamento formulado por Professora Josete (PT). Para a parlamentar, o depoimento serviu para que as investigações avançassem em alguns pontos, apesar de acreditar que muitas perguntas não foram respondidas de maneira satisfatória. “Essa afirmação do Isfer é muito grave, pois, caso seja confirmada essa não revisão do edital, pode resultar na anulação de todo o processo licitatório”, apontou.

     Já em relação a procedimentos que poderiam ser tomados para reduzir o preço da passagem, conforme pergunta de Mauro Ignacio (PSB), o gestor apontou a redução do número de gratuidades concedidas (que respondem por 14% do número de passageiros transportados), o combate à evasão (pessoas que “furam” o ônibus) e, ainda, mudanças na planilha que define a remuneração das empresas. “Em estações próximas a colégios, em dias de jogos de futebol ou grandes eventos, temos um alto índice de evasão, que varia entre a 5 a 7%. No dia a dia, isso significa uma perda bastante razoável”, revelou Isfer.

     Em posse dos dados, o relator da CPI, vereador Bruno Pessuti (PSC), comentou que, caso a evasão fosse zerada, seria possível reduzir o valor da tarifa em até R$ 0,14. “Este é um dado importante, afinal, são pessoas transportadas de graça e que, de pagassem em passagem, ajudariam a reduzir os custos”, argumentou o relator.

    Outro tema debatido com Marcos Isfer foi a possibilidade de os ônibus utilizarem as laterais e os vidros traseiros para exibir publicidade comercial. A sugestão veio de Paulo Rink (PPS), que acredita ser possível reduzir o valor da passagem ao reinvestir no sistema os recursos arrecadados com publicidade. Isfer explicou que o município optou por fazer apenas publicidade institucional nos veículos, para evitar uma excessiva poluição visual. Ainda segundo ele, adotar a medida é possível, mas depende de uma decisão política, e não da Urbs.

    No depoimento, que durou cerca de quatro horas, Valdemir Soares (PRB), Noemia Rocha (PMDB), Chicarelli (PSDC) e Rogério Campos (PSC) formularam perguntas a respeito da elaboração do edital de licitação, gestão do Fundo de Urbanização de Curitiba (FUC), bilhetagem eletrônica, planilha de custos da tarifa, contratos com o ICI, entre outras questões.

(Leia Mais…)

Fonte: Site da CMC