Saúde: Fundação Estatal passará por termo de ajuste financeiro

2     Questionado sobre um deficit de R$ 68 milhões nas contas da Feaes (Fundação Estatal de Atenção Especializada em Saúde de Curitiba), o secretário municipal da Saúde, César Titton, reconheceu ser necessário um termo de ajuste financeiro entre o órgão e a Prefeitura de Curitiba. “Nossas equipes ainda estão revisando o valor, pois soubemos dele há 10 dias. O termo pode sair durante o mês de março”, declarou ele, nesta quarta-feira (24), durante audiência pública de prestação de contas, na Câmara de Vereadores.

      A pergunta partiu da presidente da Comissão de Saúde do Legislativo, Noemia Rocha (PMDB), e do presidente do Conselho Municipal de Saúde, Adilson Tremura. Ambos demonstraram preocupação com a falta de recursos para a Feaes, pois a fundação administra o Hospital do Idoso, as UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) e Centros de Atenção Psicossocial, por exemplo. “Seria ruim para a população que a falta de recursos levasse ao fechamento de alguma dessas unidades. O momento é crucial”, ponderou Tremura.

      Titton adiantou que discorda do valor de R$ 68 milhões, apontado num relatório de controle interno, mas optou por não estimar outra quantia. “Estamos pesquisando: primeiro temos que promover um encontro das contas, para checar os dados apresentados; há também uma questão de datas relacionada a repasse de impostos, perto de R$ 18 milhões; e é preciso revisar os serviços que aparecem associados à Feaes”, comentou.

      O secretário da Saúde disse que, se for confirmada a necessidade de aportar mais recursos, “vai ser muito parecido com aquilo que ocorreu com os hospitais conveniados ao SUS”. Nesse caso, uma ação civil pública encampada pelo Ministério Público do Paraná estabeleceu valores a pagar para as instituições de saúde, que vêm sido quitados em parcelas mensais. Mostrando-se apreensivo com o desembolso de recursos não-obrigatórios da União para os municípios em 2016, dado o contexto econômico, Titton não desconsiderou rever os termos pactuados com a Feaes.

     Noemia Rocha adiantou que manterá contato com o Conselho Municipal de Saúde, a fim de acompanhar o desdobramento da questão. Além dela, integram a comissão temática Felipe Braga Côrtes (PSDB), vice-presidente, Chicarelli (PSDC), Mestre Pop (PSC) e Valdemir Soares (PRB). Galdino (PSDB), Toninho da Farmácia (PDT), Julieta Reis (DEM), Professora Josete (PT), Chico do Uberaba (PMN) e Paulo Salamuni (PV) também fizeram perguntas ao secretário. A audiência pública ultrapassou o tempo inicialmente previsto de duas horas, indo até o meio-dia.

Fonte: Site da CMC

(Leia Mais…)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s