Aprovada separação obrigatória do lixo em condomínios

“Se cada residência gerasse 10% a menos de lixo, a prefeitura economizaria R$ 2 milhões por mês”, calculou Noemia Rocha. (Foto – Andressa Katriny/CMC)

“Se cada residência gerasse 10% a menos de lixo, a prefeitura economizaria R$ 2 milhões por mês”, calculou Noemia Rocha. (Foto – Andressa Katriny/CMC)

     Condomínios residenciais e comerciais situados em Curitiba podem ser obrigados a separar em sacos plásticos de cores diferentes o lixo orgânico (cor preta) e os resíduos recicláveis (cor azul, preferencialmente). A regra consta no projeto 005.00365.2013, do vereador Chicarelli (PSDC), aprovado em primeiro turno pelo plenário nesta segunda-feira (24).

    “Com essa separação visual, os catadores de material reciclável não teriam que rasgar os sacos plásticos para descobrir se, ali dentro, tem ou não algo que possa ser recolhido”, defendeu Chicarelli. “No Guarujá, em São Paulo, isso já existe. Agora estão discutindo a distribuição de sacolas coloridas nos mercados, para incentivar a separação do lixo reciclável”, disse o vereador, sugerindo que lei semelhante fosse elaborada em Curitiba, na sequência.

     A separação em sacos plásticos coloridos seria obrigatória, segundo o projeto, para condomínios com mais de dez unidades residenciais ou comerciais. A norma também estipula multa para quem não isolar resíduos recicláveis do lixo orgânico, de R$ 1 mil por infração. “A lei que estamos propondo é muito simples, mas eu a considero pioneira”, afirmou Chicarelli.

     A iniciativa foi elogiada em plenário pelos vereadores Valdemir Soares (PRB), Sabino Picolo (DEM), Bruno Pessuti (PSC), Noemia Rocha (PMDB) e Pedro Paulo (PT). Ao se manifestarem, os parlamentares lembraram que Curitiba já foi destaque nacional no tema da preservação ambiental, ao tratar a reciclagem como política pública nas décadas de 1980 e 1990.

       “Retomar o debate da reciclagem é uma discussão essencial para a cidade”, afirmou Soares, “mas é preciso, para que um projeto desses funcione, que ele seja encarado com a devida importância pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente”. “Do período em que Jaime Lerner foi prefeito para cá pouco se avançou nessa área”, analisou Picolo, ao incentivar Chicarelli a apresentar novos projetos sobre o tema. “A reciclagem de resíduos dá empregos e gera arrecadação de impostos para o município”, defendeu.

      Noemia Rocha lembrou do impacto da coleta do lixo nas finanças do município. “O contrato da prefeitura com a empresa que recolhe o material está em R$ 148 milhões. Se cada residência gerasse 10% a menos de lixo, a prefeitura economizaria R$ 2 milhões por mês”, afirmou a parlamentar.

Fonte: Site da CMC

(Leia Mais…)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s